GACC - RN | Nossa História
21
page-template-default,page,page-id-21,tribe-no-js,tribe-bar-is-disabled,ajax_fade,page_not_loaded,,columns-4,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-9.1.3,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Nossa História

Desde a década de 1980 o GRUPO DE APOIO A CRIANÇA COM CÂNCER DO RIO GRANDE DO NORTE – GACC-RN presta assistência integral às crianças e adolescentes portadores de câncer e doenças hematológicas, com a missão de amenizar-lhes carências financeiras e afetivas, assistindo-os direta ou indiretamente. O GACC-RN oferece assistência psicossocial, nutricional, médica e jurídica, apoio logístico aos seus acompanhantes, enfim, melhores condições para que tenham qualidade de vida enquanto estiverem em tratamento, contribuindo para amenizar suas necessidades básicas.

O GACC-RN em seu estatuto tem por finalidade promover e desenvolver sem fins lucrativos, atividades educativas, recreativas, socioculturais e de assistência psicossocial ao público acima descrito, bem como coordenar programas e projetos de apoio assistencial, aperfeiçoamento de recursos humanos e desenvolvimento técnico-científico. O GACC-RN é uma instituição de utilidade pública municipal, estadual e federal, reconhecido pelo Conselho Nacional de Assistência Social – CNAS e tem no voluntariado a sua essência.

A assistência oferecida pelo GACC-RN diz respeito a: 1) Diagnóstico precoce e informações de como se dá o processo de tratamento da patologia; 2) Assistência psicossocial às crianças e acompanhantes nas diversas fases do tratamento; 3) Traslados para hospitais, clínicas e afins, e alimentação; 4) Obtenção ou pagamento de medicamentos e exames complementares (baixa e média complexidade); 5) De acordo com a disponibilidade do GACC-RN se fará a doação mensal de cestas básicas para as famílias; 6) Hospedagem e refeições para pacientes e familiares quando em tratamento; 7) Fornecimento diário, se necessário, de lanche diferenciado para o paciente; 8) Resgate de pacientes em casos de abandono de tratamento; 9) Assistência nutricional para as crianças e adolescentes;10) Assistência jurídica, quando possível, para as crianças, adolescentes e familiares; 11) realização de eventos que propiciem acesso à cultura, história local e entretenimento para as crianças assistidas e seus familiares; 12) Auxílio funeral em caso de óbito do usuário;  e 13) promoção de campanhas que venham auxiliar na cura do câncer, a exemplo da Campanha de cadastramento de possíveis doadores de medula óssea e da Campanha de Diagnóstico precoce.

Retrospectiva histórica da origem do GACC-RN

Inicialmente, em 1988, um grupo de voluntários trabalhou com visitas de forma individual e descentralizada. Dois anos depois, em 1990, percebendo as dificuldades crescentes de pacientes e acompanhantes de iniciarem e continuarem o tratamento, por falta de condições financeiras para cobrir despesas em relação à hospedagem, alimentação e transporte, o grupo alugou uma sala, onde produtos doados eram vendidos e o dinheiro arrecadado revertido em ajuda para essas famílias.

A demanda só aumentava e mesmo com aquela ajuda, essas pessoas precisavam de um local de apoio, onde pudesse tomar um banho, fazer um lanche e daí veio à necessidade de alugar uma casa. Haja vista a maioria dos pacientes à época serem tratados no Hospital Infantil Varela Santiago – HIVS e o grupo de voluntários ter surgido dentro do HIVS, em cinco de Dezembro de 2002, alugou-se uma casa vizinha ao hospital, na avenida Mal. Deodoro da Fonseca, reformada com a ajuda da sociedade, onde o GACC-RN funcionou até maio de 2006.

Em decorrência da compra dessa casa pelo HIVS com o intuito de ampliar seu setor de oncologia, e mediante a demanda crescente de crianças e adolescentes que procuram ajuda, o grupo de voluntários, colaboradores e simpatizantes à causa, em Dezembro de 2005, começaram a idealizar uma forma de colaborar com a Instituição de maneira mais permanente e em Março de 2006 iniciou-se uma grande campanha em prol da construção da sede própria, reestruturação administrativa e institucional, mantendo sempre o ideal de seus fundadores: o voluntariado.

No entanto, enquanto se viabilizaria a sede própria, devido à necessidade de desocupação da casa até então utilizada, foram alugados dois espaços: um para funcionamento dos escritórios e do Lar Esperança (local onde as crianças e suas famílias se hospedam) e outro, para o funcionamento do Bazar e do Telemarketing que juntos com alguns doadores eram as únicas fontes de renda da Instituição.

O GACC-RN passa a funcionar na Av. Jundiaí, nº 453 – Tirol, e com o apoio inicial e fundamental da então, TV Cabugi e Tribuna do Norte, conclamando todos a unirem-se em prol da construção da sede própria. Lança-se então, a campanha “SUPERAMIGO GACC”. Começam as parcerias com artistas plásticos, alguns empresários e a população norte-rio-grandense que se sensibilizaram com a causa, possibilitando a aquisição do terreno e com a ajuda, em particular, de um grupo de italianos que custeou a mão-de-obra da 1ª fase, inicia-se a construção.

Uma grande corrente de voluntários, mães, funcionários e a sociedade em geral promovendo eventos, realizando ações, arrecadando e cadastrando notas fiscais na Campanha “Cidadão Nota 10”, enfim os esforços foram muitos e em 18 de Julho de 2009, o GACC-RN nos seus 19 anos, recebe da população norte-rio-grandense e visitantes, a tão sonhada e necessária sede própria.

A primeira sede própria do GACC-RN traz a redução de gastos com aluguéis, melhores condições de acomodação aos pacientes e acompanhantes oriundos de todo o Estado quando em tratamento na capital, melhores condições de trabalho para funcionários e dezenas de voluntários, além da oportunidade de ampliação do número de crianças recebidas, uma vez que, infelizmente, a demanda é crescente.

O GACC-RN sobrevive basicamente de doações em dinheiro, roupas usadas que são comercializadas no bazar, notas fiscais para a campanha do “Cidadão Nota 10”, promovida pela Secretaria de Tributação do estado do RN, promoção de eventos ou venda de produtos GACC-RN ou mesmo na divulgação e no trabalho voluntário e apoio emocional que dezenas de pessoas desenvolvem.

Infelizmente, o tratamento do câncer é um dos mais caros que existe e as despesas, por sua vez, são proporcionais à demanda, e o GACC-RN não dispõe de nenhuma receita fixa do Estado, dependendo da solidariedade dos potiguares e visitantes que ao conhecer a Instituição se sensibilizam com a causa, e dos voluntários e colaboradores que doam suas habilidades, tempo, recursos financeiros e muito amor.

O GACC-RN sempre contou com parceiros. Desde quando ainda atuava somente no hospital, depois na lojinha vendendo objetos usados e revertendo em ajuda de custos para as famílias, depois na casa vizinha ao Hospital Infantil, de 2006 a 2009 na Rua Jundiaí e, particularmente na construção da sede própria.

Na Casa da Avenida Mal. Deodoro da Fonseca, a estrutura física da casa era formada por seis cômodos, atendendo mais de uma centena de crianças, divididos precariamente da seguinte forma:

  • 1ª Sala – Bazar
  • 2ª Sala – Diretoria, Secretaria, Assistência Social e Psicologia
  • 3ª Sala – Dormitório com dois beliches, um berço e alguns colchões
  • 4ª sala – Dormitório com dois beliches, um berço e alguns colchões
  • 5ª sala – Sala de Tv / Reuniões
  • 6ª sala – Refeitório / espaço dividido para cozinha, lavanderia, Depósito e atividades com as crianças.

Em 2006 mediante a falta de espaço físico que já não comportava a demanda, o desabamento de parte do teto da casa onde funcionava e a compra dessa casa pelo Hospital Infantil Varela Santiago – HIVS para ampliar seu setor de oncologia, o GACC-RN aluga a casa da Avenida Jundiaí onde passam a funcionar a parte administrativa e o Lar Esperança e um outro espaço, localizado na Travessa Ponciano Barbosa – 282, Centro, lateral do Hospital Infantil Varela Santiago, para o funcionamento do telemarketing e do Bazar.

Até  julho de 2009 a instituição funciona dessa forma. Voluntários levando para suas casas as crianças transplantadas, a realização de algumas atividades sendo viabilizadas através de parceiros que cedem seus espaços. A casa da Jundiaí mesmo adaptada e já atendendo uma demanda de 283 crianças era composta de:

  • Três quartos equipados de 07 beliches;
  • Um banheiro para as crianças e um para os adultos;
  • Uma pequena área adaptada como sala de leitura;
  • Acesso lateral para os escritórios (secretaria, gerencia administrativa, setor financeiro e depósito de fraldas, setor psicossocial, nutricional, despensa e equipe do “Cidadão Nota 10”, além de servir de apoio às demais coordenações), também utilizada como garagem e espaço de recreação;
  • Cozinha pequena e sem estrutura adequada e equipamentos.
  • Pequeno refeitório que também é utilizado como sala de TV. (sem armários suficientes para acomodar os pertences das crianças e acompanhantes);

 

Nenhum desses espaços dispunha de acessos para cadeirantes ou pacientes com necessidades especiais, sem falarmos na falta de estrutura para o desenvolvimento das inúmeras funções necessárias para o dia a dia dos usuários e seus acompanhantes.

Em paralelo à Campanha do “Superamigo GACC” em prol da construção da sede própria, de 2006 a 2009, iniciou-se um processo contínuo e gradual de reestruturação institucional. O organograma foi reformulado, foram definidos rotinas e procedimentos adequados à realidade, voluntários e funcionários capacitados de acordo com as suas funções.

Foi adquirido o título do Conselho Nacional de Assistência Social – CNAS que dá o título de Utilidade Pública Federal, complementando os títulos adquiridos anteriormente na esfera municipal e estadual e a Instituição começa a ser identificada como referência no apoio àqueles que precisam de ajuda para vencerem o câncer.

Com a campanha da construção e todo esse trabalho de reestruturação administrativa, outros parceiros foram se agregando e em março de 2006, através de uma parceria com o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros do Município do Natal. – SETURN foi lançada a campanha “Doe o Troco”. Os resultados proporcionaram, no final do mesmo ano, a compra do 1º veículo adquirido pelo Grupo de Apoio à Criança com Câncer, uma kombi Zero km, ano 2006/2006, motor 1.4.

A Kombi substituiu o Fiat utilitário, modelo 1980, doado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, que em conjunto com os carros dos voluntários, até então, serviam para o traslado das crianças e todo o trabalho administrativo da Instituição. Atualmente os valores doados pelo SETURN são utilizados em parte da manutenção do Lar Esperança e o Fiat Utilitário tornou-se alvo de uma campanha para sua recuperação.

Por fim, em julho de 2009, o GACC-RN com exatos 19 anos, concretiza um sonho construído por muitas mãos e inaugura a primeira sede própria.  Com a nova estrutura física que, por si só, proporciona melhores condições de funcionamento para receber a demanda, novos desafios estão surgindo: campanhas essenciais à cura, como a do diagnóstico precoce, sensibilização da população em relação à doação de órgãos e de medula óssea em particular, entre outras.